DECLARAÇÃO DO ENCONTRO DAS PASTORAIS E MOVIMENTOS SOCIAIS

No último dia 03 e Junho de 2017, mais de 63 agentes de pastorais e de movimentos sociais e populares de diferentes Dioceses da Grande São Paulo, se reuniram no Centro Pastoral São José (Belém – Zona Leste/SP) em um encontro que contou com a presença de Dom Angélico Sândalo – Bispo Emérito de Blumenau.

 O objetivo desse encontro foi manifestar posições contra o desmonte dos direitos sociais do país pelo sistema capitalista via governo ilegítimo, impopular e corrupto de Michel Temer que, aliado ao poder judiciário, midiático e empresarial (nacional e internacional) moveram contra a classe trabalhadora brasileira uma série de retrocessos em curto prazo.

No encontro, ocorreu um amplo debate das “reformas” (desmonte) trabalhista e especialmente a “reforma” (desmonte) da Previdência, o que restou claro o posicionamento dos movimentos sociais e das pastorais presentes, de que as referidas “reformas” empobrecerão por demais o povo brasileiro, aumentando o distanciamento entre pobres e ricos, o que não se coaduna com as recomendações colocadas na Encíclica “Laudato Si” do Papa Francisco. Ou seja, as perdas sofridas pela classe trabalhadora representam a ampliação das desigualdades sociais, o que contraria a recomendação do Papa Francisco.

É claro o apontamento do Papa Francisco aos problemas da natureza relacionados ao consumo exacerbado e destruição da natureza e a exploração dos pobres e excluídos pelos ricos. Na mesma linha o “Evangelii-Gaudium” (A Alegria do Evangelho), ao citar sobre o papel da igreja em exercer uma igreja “em saída”, relata os desafios do mundo atual, entre eles os sociais, culturais e econômicos e nos convida a renovar o diálogo sobre a construção do planeta, bem como a uma nova etapa evangelizadora contando com o compromisso dos pastores da igreja à promoção do estímulo de debate fraterno com a sociedade.

Cresce a fileira dos que foram jogados para fora do direito ao trabalho, do direito a morar com dignidade. Mas assistimos a ganância dos que corrompem com os que são corrompidos, preocupados unicamente em acumular, mesmo que para isso destruam sonhos, oferecendo a ilusão de uma sociedade de fartura que na verdade gera a cultura do ter em detrimento do ser. É nesta sociedade excludente que “Mata o próximo quem lhe tira seus meios de vida, e derrama sangue quem priva o operário de seu salário” (Eclo 34, 22), que está a consumir “O pão dos indigentes é a vida dos pobres” (Eclo 34, 21). Deste modo, repudiamos todas as reformas desse governo da maneira que está sendo imposta, a aliança entre capital e política para retirar direitos da classe trabalhadora. E reafirmamos que o trabalho digno é nosso direito, lutar por ele é nosso dever!

Visando denunciar esse sistema que é insuportável, exclui, degrada e mata, que nós católicas e católicos, convocamos agentes pastorais, movimentos sociais e populares, a agregaram essa agenda de mobilização da nossa igreja, rumo a uma sociedade mais justa e livre.

Para isso, nos reuniremos no próximo dia 01 de Julho (sábado) ás 14h no Centro Pastoral Belém (Av. Álvaro Ramos, 366 – Belenzinho, São Paulo – SP, 03058-060) para um grande encontro para firmar os próximos passos.

ASSINAM O DOCUMENTO:

Pastoral da Educação da Arquidiocese de São Paulo

Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo

Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese de São Paulo

Pastoral Carcerária Nacional

Pastoral Operária Região Episcopal Belém

Pastoral Operária Região Episcopal Ipiranga

Pastoral Operária Região Episcopal Santana

Pastoral Operária Diocese de Campo Limpo

Pastoral Operária Diocese de Guarulhos

Pastoral Operária Diocese de Santo André (ABC)

Pastoral Operária Diocese de São Miguel

Pastoral da Terra

Igreja Povo de Deus em Movimento

Pastoral da Juventude Regional Sul 1

IAZL – Instituto dos Advogados da Zona Leste da cidade de São Paulo

Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo

Gruto Tortura Nunca Mais

Casa da Solidariedade Região Ipiranga

CEB’s

CEDECA Sé

CESEP
CESEP Voluntários

Centro Pastoral São José do Belém

Comunidades Região Brasilandia

Missionários do Verbo Divino

Fraternidade Charles Foucauld

Pastoral do Menor – Bom Parto

Pastoral de Fé e Política da Paróquia Sta Zita

Pastoral da Educação

Pastorais Sociais – CEB’S Santo André

Paróquia Nossa Senhora do Carmo Diocese de São Miguel

Comissão Justiça e Paz Arquidiocese de São Paulo

Comissão Santo Dias de Direitos Humanos

Congregação Verbo Divino

Samaritanos FA

SEFRAS

SPM Serviço Pastoral dos Migrantes

Fórum de Participação da V Conferência de Aparecida

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

32ª SEMANA DO MIGRANTE – MIGRAÇÃO, BIOMAS E BEM VIVER. “UMA OPORTUNIDADE PARA IMAGINAR OUTROS

 

Em comunhão com a Igreja no Brasil e em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano, que trouxe o tema: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, e o lema “Cultivar e guardar a Criação”, o Serviço Pastoral dos Migrantes, em sua 32ª Semana do Migrante, quer anunciar, denunciar, refletir e construir uma nova relação do ser humano com a Mãe Terra. Na perspectiva de mudança de mentalidade e comportamento, queremos celebrar a vida que teimosamente não se deixa matar e nem aceita ser destruída por nenhuma força que se proclama dona de sua existência, porque acredita que o Deus Criador e Salvador já venceu e já declarou sua vitória sobre a morte, o pecado e o mal.

Nesta perspectiva, a Semana do Migrante, nos dias 18 a 25 de junho, deste ano, tem o tema: Migração, Biomas e Bem Viver e o lema: Uma oportunidade para Imaginar Outros Mundos.

Diante de tantos vazios éticos e desmandos políticos, carregados de confusão e de interesses privados, diante de ideologias nacionalistas que defendem a segurança nacional e a construção de muros, sem levar em conta as pessoas, propomos uma sociedade mais igualitária, fraterna e principalmente justa, na sua mais ampla compreensão. É preciso, romper, com tudo aquilo que é belicoso, ganancioso, que faz da concentração de riquezas e da terra, cada vez mais um poder triunfalista, onde as riquezas do planeta são usurpadas por corporações, autoridades nacionais e internacionais, em nome do tal crescimento. Por isso, denunciamos as causas profundas e injustas deste sistema que é “…insuportável, exclui, degrada e mata”, conforme afirmou o Papa Francisco, em seu II Encontro com os Movimentos Populares na Bolívia, e onde propôs uma sociedade que acolhe, cuida e ama o próximo e a natureza. Vivemos uma crise societária que ao mesmo tempo é social, econômica e ecológica, consequência desta crise estrutural do Capital, com suas duas faces mais perversas: a concentração de riquezas e a exclusão dos trabalhadores e trabalhadoras, do campo e da cidade. Não é apenas uma crise humanitária, como sugere a mídia, mas uma exclusão em massa de milhões de seres humanos, anulando direitos e destruindo o planeta. A crueldade deste sistema capitalista é traduzida pela indústria bélica, tráfico de armas, drogas, pessoas e leis injustas que permitem a circulação de bens e capitais e impedem a livre circulação de pessoas, restringindo a liberdade e os direitos. Denunciamos este sistema de concentração e exclusão, causador dos desequilíbrios climáticos e ecológicos no planeta, que por sua vez são a causa de expulsão forçada de milhões de seres humanos obrigados a fugir para salvar suas vidas e sobreviver longe de sua pátria. Muitos destes nossos irmãos (as) acabam sem pátria e sem nacionalidade porque seus territórios desapareceram ou foram usurpados. Hoje existem milhões de apátridas (pessoas sem pátria e sem nacionalidade). Dezenas de milhares de crianças desacompanhadas e tantos outros milhões de jovens e velhos refugiados econômicos, climáticos ou políticos que estão a caminho ou chegando em outros países em busca de segurança, paz e o mínimo necessários para viver com dignidade.

Que esta crise de todo um modelo civilizatório seja uma oportunidade para nos desafiar a imaginar outros mundos. Que possibilite reconstruir utopias e reinventar novas relações horizontais, mais justas e solidárias onde todas as formas de vida do planeta e no planeta sejam valorizadas.

Outra face perversa deste sistema é a migração forçada, de milhões de imigrantes e refugiados que fazem de sua fuga um gesto de ousadia e resistência. Sonhamos com um mundo novo possível, justo e solidário para todos e todas, em nossa casa comum. Que a Mãe Terra seja cuidada para que possa gerar condições, recursos e meios necessários para uma vida digna.

O Papa Francisco chama, e conclama a todos: igrejas, governos, sociedade civil, migrantes, refugiados, organismos e instituições, para viver e aprender a conjugar na primeira pessoa do singular e do plural a praticar os quatro verbos: ACOLHER, PROTEGER, PROMOVER E INTEGRAR, como convivência entre as diferenças e partilha de saberes.

Entendemos que o Papa Francisco, com sua Ecologia Integral está falando também dos biomas, ecossistemas e da humanidade. A convivência e integração pacífica entre as culturas e povos, que jamais nega a diversidade étnica e cultural, é uma dimensão da Igreja no Espírito do Pentecostes. Com este espírito somos chamados a sonhar, celebrar e a viver com alegria e com ousadia a Semana do Migrante em 2017.

Pe. Mário Geremia CS e Roberto Saraiva (COLEGIADA DO SPM)

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

32ª SEMANA DO MIGRANTE Semana do Migrante em Curitiba com o Tema Migração Biomas e Bem Viver

Semana do Migrante, nos dias 18 a 25 de junho, deste ano, tem o tema: Migração, Biomas e Bem Viver e o lema: Uma oportunidade para Imaginar Outros Mundos.

Diante de tantos vazios éticos e desmandos políticos, carregados de confusão e de interesses privados, diante de ideologias nacionalistas que defendem a segurança nacional e a construção de muros, sem levar em conta as pessoas, propomos uma sociedade mais igualitária, fraterna e principalmente justa, na sua mais ampla compreensão

Programaçao: 

DIA 08 DE JUNHO (5ª FEIRA) – VISITA DOS ESTUDANTES  DE GEOGRAFIA DA UFPR – NA CARITAS -9 HS HS. RUA PAULA GOMES Nº 703 – 1º ANDAR – BAIRRO SÃO FRANCISCO –

DIA 09 DE JUNHO (SEXTA-FEIRA) – PEÑA LATINA – SALÃO AMIGÃO – PARÓQUIA SÃO JOSÉ EM SANTA FELICIDADE AV. MANOEL RIBAS, 6252– A PARTIR DAS 19 HORAS – 10,00 O INGRESSO.

DIA  10 DE JUNHO – (SÁBADO) 11H-19H ADUS: QUINTAL DO MUNDO – EDIÇÃO DO BEM UM EVENTO QUE PROMOVE INTEGRAÇÃO SOCIAL, ECONÔMICA E CULTURAL DE REFUGIADOS ATRAVÉS DA GASTRONOMIA, MÚSICA E ARTE.

CASA CURITIBA HONESTA – R. ANDRE ZANETI, 199 – VISTA ALEGRE

DIA 10 DE JUNHO (SÁBADO) A PARTIR DAS 16 HORAS  – FESTA JUNINA – CASA PARAGUAIA DE CURITIBA – RUA ANGELO PIANARO Nº 1124 – BAIRRO BOTIATUVINA – PERTO DE SANTA FELICIDADE- FONE: 995792408 –

DIA 11/06 (DOMINGO) – 13H ÀS 20H DÚVIDA? UM MÍNI FESTIVAL DE VÁRIAS ARTES – PORTFOLIO/ ADUS  – EXPOSIÇÃO” ENTRE MUNDOS”

COM PARTICIPAÇÃO DE REFUGIADOS PORTFOLIO – ESCOLA DE FOTOGRAFIA

  1. ALBERTO FOLONI, 634 A

DIA 11  DE JUNHO –(DOMINGO) ABERTURA DA SEMANA DO MIGRANTE – 10 HS. MISSA NA COMUNIDADE  NOSSA SENHORA MÃE DOS MIGRANTES – VILA OSTERNACK – À TARDE COM FEIRA DE SERVIÇOS E CULTURA

DIA 13 DE JUNHO –(3ª FEIRA)  VISITA DOS ESTUDANTES  DE GEOGRAFIA DA UFPR – NA CARITAS  ÀS 9 HS. RUA PAULA GOMES, 703 – 1º ANDAR

DIA 14 DE JUNHO (4ª FEIRA)   AS 17:50 FALANDO DE SAÚDE PARA MIGRANTES E REFUGIADOSUTFPR  – BLOCO V UTFPR

DIA 17 DE JUNHO (SÁBADO) -20 HS.  CONFRATERNIZAÇÃO PELO MÊS DO MIGRANTE- LOCAL: RECANTO FRANCISCANO – RUA SERAFINA CULMAN CULPI, 311 – BAIRRO BOTIATUVINHA – FONE: 3273-3396 – 999066645 – QUEM QUISER PODE LEVAR ALGUM ALIMENTO  PARA A PARTILHA – PODE SER DE FESTA JUNINA.

DIAS 06 E 14 DE JUNHO (3ª FEIRA E 4ª FEIRA) – CINE-DEBATE MIGRAMUNDO – FILMES 1) LINGUA – VIDAS EM PORTUGUÊS E O 2) SAMBA – MINIAUDITÓRIO DA UTFPR – RUA SETE DE SETEMBRO . CAMPUS CENTRO – 19 HORAS. ENTRADA FRANCA.

DIA 19 DE JUNHO  (2ª FEIRA) AS 14:40 “FALANDO SOBRE EXTENSÃO: O PAPEL DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS NA CRISE INTERNACIONAL DOS REFUGIADOS

UTFPR. LOCAL: SALA N105 UTFPR

DIA – 20 DE JUNHO –(3ª FEIRA)  DIA MUNDIAL DOS REFUGIADOS – UFPR. PMUB/CÁTEDRA

ÀS 17 HS. “TEM UM LUGAR NO MUNDO PARA NÓS!” – OFICINA SOBRE REFÚGIO, RELIGIÃO, GÊNERO E IDENTIDADE – COM PROF ROSICLER SOS SANTOS E REFUGIADOS. LOCAL: PREDIO HISTÓRICO – PRÇA SANTOS ANDRADE – TÉRREO SALA 08.

ÀS 19 HS. EVENTO COM MEMBROS DA REDE DE APOIO A MIGRANTES, REFUGIADOS E APÁTRIDAS. HAVERÁ ASSINATURA DE ACORDO DA REDE, 2ª EDIÇÃO. PARTICPAÇÃO DE PAULO ILLES (A CONFIRMAR) . LOCAL: PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO DA UFPR – PRAÇA SANTOS ANDRADE, SALA DE VIDEO CONFERENCIA.UFPR

INAGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO DE FOTOS E TEXTOS: REFLEXÕES SOBRE MIGRAÇÃO E REFÚGIO: FOTOS DE FIERELLE NAMEK E AMR HOUDAIFA E TEXTOS DOS ALUNOS DO PROJETO PBMIH. LOCAL: UFPR – HALL CAMPUS SANTOS ANDRADE

DIA 21 DE JUNHO (4ª FEIRA) CARDÁPIO DA RU – RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO – COMIDAS TIPICAS DE PAÍSES DE ORIGEM DE REFUGIADOS(@S) NO BRASIL.

DIA 21 DE JUNHO (4ª FEIRA) ATIVIDADES COM MIGRANTES E REFUGIADOS NO CENTRO DE INFORMAÇÃO DO ESTADO PARA MIGRANTES E REFUGIADOS – RUA: DES. WESTHEPHALEN Nº 15 – 13º ANDAR – O DIA TODO.

 DIA 23 DE JUNHO (6ª FEIRA)   19HS –  LITERATURA DE REFUGIO –COMEMORAÇÃO DE UM ANO DO PROJETO – LOCAL LIVRARIA JOAQUIM – RUA ALFREDO BUFREN, 51 – CENTRO

DIA 24 DE JUNHO (SÁBADO)  – DAS 10:30 ÀS 12 HS,  PLANETA É UM SÓ FAZ RODA DE LEITURA. PRECISARÁ DE INSCRIÇÃO PELO FACEBOOK DO PLANETA. E FALAR RAZOAVELMENTE O PORTUGUÊS (AINDA A EQUIPE NÃO SABE COMO AVALIAR ISSO)

INSCRIÇÃO A PARTIR DO DIA 08 DE JUNHO – HTTP://WWW.FACEBOOK.COM/OPLANETAEUMSO

DAS 13:30 ÀS 14:30 HS – PLANETA ZEN, AULA DE YOGA.

DAS 14:30 ÀS 18:30 – PLANETA CINE CLUBE – FILME “A CEM PASSOS DE UM SONHO”, COM DIÁLOGO, LANCHE COMUNITÁRIO JUNINO. PODEM IR Á CARATER, FESTA JUNINA COM QUADRILHA.ACONTECERÁ NO INSTITUTO TIBAGI – RUA CONSELHEIRO LAURINDO, 600 PISO P

DIA 25 DE JUNHO (DOMINGO) –  DAS 14:00 ÀS 15:30, PLANETA NA PRAÇA. NO MEMORIAL UCRANIANO. OBJETIVO: CONHECER A MIGRAÇÃO UCRANIANA (VISITA GUIADA SEGUIDA DE DIÁLOGO.

DAS 15:30 ÀS 18 HS., NO PARQUE TINGUI (PONTO DE ENCONTRO É O MEMORIAL UCRANIANO, APÓS A OUTRA ATIVIDADE), PLANETA FAMILIA, COM JOGOS, LAZER E PIQUINIQUE (CRIANÇAS E JOVENS TAMBÉM

TODAS AS PROGRAMAÇOES SÃO PRA MIGRANTES, REFUGIADOS, APÁTRIDAS (CASO HAJA ALGUM) E BRASILEIROS.

24 DE JUNHO (SÁBADO) ÀS  9:30HS. RODA DE CONVERSA COM PSICÓLOGOS (AS) E SOCIEDADE SOBRE MIGRANTES, REFUGIADOS E APÁTRIDAS COM O TEMA: ATUALIZAÇÕES SOBRE A CRISE MIGRATÓRIA INTERNACIONAL – LOCAL: SDE DO CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO PARANÁ – AV. SÃO JOSÉ, 699 – CRISTO REI.

DIA 25 DE JUNHO (DOMINGO)  – MISSA DE ENCERRAMENTO DO MÊS DO MIGRANTE – 19 HORAS – EM SANTA FELICIDADE

DIA 26 DE JUNHO (2ª FEIRA)  -– 9 HORAS – AUDIÊNCIA PÚBLICA – NOVA LEI DE MIGRAÇÃO –

PLENARINHO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARANÁ– CENTRO CIVICO

DIA 27 DE JUNHO (3ª FEIRA)  – REUNIÃO DO CERMA – O DIA TODO – PALÁCIO DAS ARAUCÁRIAS – ABERTA À PARTICIAPÇ

DIA  28 DE JUNHO (4ª FEIRA)   – VULNERABILIDADE NO ACESSO A SAUDE POR MIGRANTES: OLHARES A PARTIR DA BIOETICA E DIREITOS HUMANOS.

PROF. THIAGO ROCHA DA CUNHA. 9:30-12:00. SALA 02 BL VERDE 2 ANDAR PUC

AS ATIVIDADES ESTAO SENDO ORGANIZADAS E REALIZADAS POR ENTIDADES E ORGANIZAÇÕES QUE COMPÕE A REDE DE APOIO E PROTEÇÃO AO MIGRANTES, REFUGIADOS E APÁTRIDAS EM CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA

http://www.miguelimigrante.blogspot.com

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

No futuro poderão existir mais 200 milhões de refugiados devido às alterações climáticas

Uma ativista e especialista em questões migratórias admitiu hoje que nos próximos anos poderão existir mais 200 milhões de refugiados devido às contínuas alterações climáticas e sem instrumentos internacionais para os proteger.

“Para além dos atuais 300 milhões de refugiados no mundo, nos próximos anos haverá outros 200 milhões, que serão refugiados climáticos. E não existem instrumentos internacionais para os proteger. A Convenção de Genebra não inclui os refugiados climáticos, mas eles também vão morrer, porque o clima muda”, considerou em declarações à Lusa Lora Pappa, fundadora e presidente da Ação para Migração e Desenvolvimento (Metadrasi, uma organização não governamental grega fundada em 2010).

A ativista grega, laureada em 2015 com o Prémio Norte-Sul do Conselho da Europa, confrontou-se com a realidade dos incontroláveis fluxos migratórios em 2015 e 2016 entre as costas da Turquia e a Grécia, que baixaram radicalmente na sequência do “acordo UE-Turquia” de março de 2016, e que lhe merece muitas críticas.

“É mais uma declaração, não é um acordo… e foi feito numa situação de pânico, o que não é positivo. Perdemos a ocasião, enquanto UE, de apoiar a Turquia, de melhorar o sistema de proteção”, considerou.

Caso a Turquia desse alguns passos nesse sentido, poderíamos estabelecer um acordo. Mas estávamos em pânico, fizemos esse suposto acordo, é verdade que o fluxo migratório diminuiu, mas em simultâneo aumentaram as redes de traficantes na Grécia e na Europa”, acrescentou a responsável da Metadrasi, que participou hoje no painel “Gerir as Migrações”, no primeiro dia do 23.º Fórum Lisboa do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa.

A iniciativa, sob o tema “Interligando as pessoas: gerir as migrações, evitar o populismo, construir sociedades inclusivas e reforçar o diálogo norte-sul”, decorre até sexta-feira no Centro Ismaili da Rede de Desenvolvimento Aga Khan.

O falhanço no combate às redes de traficantes, após o fluxo migratório ter sido desviado para o Mediterrâneo central a partir de meados de 2016, e a linguagem difusa dos responsáveis políticos também são aspetos decisivos para a ativista grega.

“Seria importante que os políticos falassem honestamente às pessoas. Não é possível travar este fluxo. Continuamos a propagar o conto de fadas de que é possível parar o fluxo migratório. E existe aqui uma escolha difícil: que a prioridade consista em travar, por qualquer meio, um caminho muito perigoso para a democracia, ou enfrentar esta realidade”.

Ainda numa referência ao acordo com a Turquia, que entre diversas medidas prevê o repatriamento de indocumentados ou de migrantes a quem foi recusado o pedido de asilo, Lora Pappa alertou para a formação de “zonas-tampão” em Estados com “inúmeros problemas”, incluindo em “pequenos países” como a Jordânia, o Líbano, mesmo a Grécia”.

“Com estas políticas, criam-se “zonas-tampão, e não é seguro que esses políticos escolham entre o seu futuro político ou em proteger os refugiados”, admitiu.

“Pensam nos resultados das próximas eleições, e intensificarem-se as expulsões de refugiados, mesmo para os seus países de origem onde a sua vida está em perigo, ou afastá-los cada vez para mais longe, e ignorar os movimentos dos traficantes. É um caminho muito perigoso para a Europa”, concluiu.

DN

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

A família Scalabriniana celebra a vida e obra neste dia 1º de junho o Bem-aventurado João Batista Scalabrini

Resultado de imagem para Beato scalabrini

A Congregação dos Missionários de São Carlos, também conhecidos como carlistas ou scalabrinianos, foi fundada pelo Beato João Batista Scalabrini e tem como patrono São Carlos Borromeu. A Congregação tem como lema: Eu era estrangeiro e me acolhestes . Por ser um piedoso homem, extremamente preocupado com a difusão do Evangelho, Scalabrini foi definido pelo Papa Pio  como o Apóstolo do Catecismo.

Os escalabrinianos são umafamilia religiosa católica, constituída por duas congregações e um instituto secular, fundada por Dom João Batista Scalabrini em Piacenza.

Após elaboradas as regras, a Congregação foi aprovada pelo Papa Leão XIII, a  28 de novembro de 1887. Sua finalidade é a formação religiosa, moral, social e legal dos . Para cumprir esta finalidade, Dom Scalabrini fundou também, em 1895 , um segmento feminino, a Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu, que proporcionou grandes frutos, dentro da pregação e ensino catequético aos imigrantes. Diversas outras congregações scalabrinianas expandiram-se rapidamente pelo mundo.

Scalabrini, em sua ação missionária, assumiu com solicitude as situações sofridas dos migrantes, no compromisso profético e solidário, fruto de uma espiritualidade  e encarnada de um Deus peregrino e amigo, que nos chama, a trocar o medo a e desconfiança por uma abertura fraterna, onde não haja mais “órfãos nem peregrinos”, mas irmãos. Os migrantes, nas várias formas de movimentos e mobilidade humana, são portadores de valores e construtores de uma nova sociedade em que as culturas se interpretam e se entrelaçam.”

 

“Para o migrante a pátria é aquela que lhe dá o pão”. J. B. S.

http://www.miguelimigrante.blogspot.com

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Os movimentos sociais e as Igrejas frente às reformas trabalhistas e da previdência

convite mov sociais e as igrejas frente às reformas

Imagem | Publicado em por | Publicar um comentário

Central de Conciliação de Guarulhos vai Inaugurar Albergue Provisório para Estrangeiros em Situação de Risco

O Núcleo de Cidadania da Central de Conciliação da Justiça Federal de Guarulhos/SP inaugura, no dia 7 de junho, o Albergue Transitório do Programa de Ressocialização de Réus Estrangeiros (Prorrest), uma parceria com Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) e o GRU Airport (concessionária do aeroporto internacional da cidade).
O albergue será abrigado no CDDH, que contará com novas instalações. O local passará a receber, temporariamente, estrangeiros em situação de risco e réus estrangeiros da Justiça Federal em liberdade provisória ou em cumprimento de penas alternativas para acompanhamento. No endereço, serão oferecidos serviços de assistência social e aulas de português, além de intermediação de oportunidades de emprego junto ao empresariado de Guarulhos.
Durante a inauguração, serão apresentadas as atividades de acolhimento e capacitação de refugiados, réus estrangeiros, réus migrantes e brasileiros retornados ao país. Estão previstas também visitas guiadas ao CDDH e ao albergue. A Central de Conciliação de Guarulhos (Cecon) é coordenada pelo juiz federal Etiene Coelho e o Prorrest pelo juiz federal Paulo Almeida.
Parcerias
 
O Núcleo de Cidadania da Cecon tem buscado firmar parcerias com a sociedade civil para patrocinar a manutenção do albergue e para viabilizar, na prática, a adoção de eventuais medidas despenalizadoras (ou mesmo de concessão de liberdade provisória e de progressão de regime de cumprimento de pena) a réus estrangeiros, enquanto permanecem no Brasil, com vistas à ressocialização.
O albergue transitório tem capacidade para 25 vagas e o objetivo é propiciar hospedagem por até 90 dias para que o egresso possa se organizar. O albergue está sendo construído pela concessionária GRU Airport, que patrocina a ampliação das instalações do CDDH.
O Prorrest é um projeto pioneiro para ressocialização de réus estrangeiros do Núcleo de Cidadania da Cecon da Justiça Federal de Guarulhos. A cidade recebe, em média, 300 novos casos por ano de presos estrangeiros processados por crimes federais. Essas pessoas enfrentam dificuldades ainda maiores que réus brasileiros, já que não falam português e não possuem residência fixa no país.
Outra inciativa proporcionada pelo programa é a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Físicas (CPF), por meio de uma parceria com a Receita Federal. Com isso, os egressos podem trabalhar legalmente e conseguem a regularização dos atos da vida civil, enquanto permanecerem no Brasil sob custódia da Justiça. O documento é emitido apenas nos casos em que for comprovada a autenticidade do passaporte do réu preso, mediante laudo da Polícia Federal, e por meio virtual, sem a necessidade de que o estrangeiro vá até o balcão da Receita Federal.
Inauguração
Data: 7 de junho de 2017
Horário: das 9h às 11h
Local: Auditório da Secretaria da Educação
Rua Cláudio Barbosa, 313, Bairro Macedo, Guarulhos/SP
Assessoria de Comunicação do TRF3
 
Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário