Moradores da favela Buraco Quente, zona sul de São Paulo, não tem para onde ir após incêndio

 

“No dia 03 de de 2012, também perdemos tudo. Demoramos sete meses para reconstruir. Gastamos 3,5 mil. Agora vai ser tudo de novo”  Este é o depoimento de Rodolfo, filho mais velho de uma família de sete irmãos que veio do Ceará há dez anos em busca de uma vida melhor, aos 18 anos.

Após o incêncio, cerca de 600 famílias, ou duas mil pessoas, revivem o drama de ter que reconstruir seus barracos e dormir ao relento. As crianças foram levadas para uma igreja próxima enquanto seus pais faltavam no trabalho para limpar e reconstruir seu espaço. “Espero não perdem meu trabalho também”, diz a auxiliar de limpeza do aeroporto de Congonhas, Zilma Ernesto, de 42 anos.

A “favela do Piolho” fica na avenida Roberto Marinho, região muito valorizada. Segundo os bombeiros, o incêndio pode ter sido criminoso. Segundo o ajudante de pedreiro, Marcos da Silva, de 42 anos, os moradores ficaram revoltados pela demora na ação dos bombeiros.

Do jornal Metrô, 09 de setembro/2014

Sobre SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

O Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) é uma Pastoral Social, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundada em 1985, que promove os direitos humanos, sociais, econômicos, políticos e culturais dos migrantes e imigrantes e comunidades de origem, trânsito e destino.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s