SP: grupo é denunciado por trabalho escravo em cultivo de cana

Trabalhadores eram submetidos a trabalho escravo e viviam em condições sub-humanas em fazendas da região de Bauru
                              

O Ministério Público Federal (MPF) em Bauru (SP) denunciou à Justiça Federal os empresários Demétrios Urrêa, Fábio Urrêa e Rodrigo Carlos da Rocha pelos crimes de empregar trabalhadores em condição análoga à escravidão e sonegação de contribuição previdenciária. Os crimes ocorreram, segundo o MPF, quando eles eram sócios da empresa Cultivo de Cana-de-Açúcar BR Ltda., uma companhia de mão-de-obra que recrutava homens e mulheres para trabalhar nas fazendas da região. 

Os crimes aconteceram em 2007, segundo o MPF. Um boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Polícia de Pirajuí informa que os trabalhadores eram submetidos a trabalho escravo, viviam em condições sub-humanas, que o local de moradia era insalubre e o salário insuficiente até mesmo para custear as despesas de alimentação. Também foram denunciados os funcionários da empresa Antônio Souza da Silva e Airton Prado.

Silva foi denunciado, ainda, por aliciamento de trabalhadores de um local para outro do território nacional. O MPF diz que ele buscava pessoas em cidades do Nordeste para trabalharem em fazendas localizadas em pequenas cidades na região de Bauru e prometia boas condições de trabalho, como alojamento com cama, colchão, geladeira, fogão e cesta básica, além de seguro-desemprego e equipamentos de proteção. Porém, quase nada era cumprido. 

A situação era tão grave que o Ministério Público do Trabalho chegou a registrar o caso de uma cortadora de cana que morreu em razão trabalho. Segundo denúncia do Sindicato dos Trabalhadores e Empregados Rurais de Agudos, a empresa deu baixa na carteira de trabalho dela com data anterior à da morte.

http://noticias.terra.com.br/brasil/policia/sp-grupo-e-denunciado-por-trabalho-escravo-em-cultivo-de-cana,b305141c2bc5e310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

30 de Abril de 2013

Sobre SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

O Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) é uma Pastoral Social, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundada em 1985, que promove os direitos humanos, sociais, econômicos, políticos e culturais dos migrantes e imigrantes e comunidades de origem, trânsito e destino.
Aside | Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s