Comissão da Verdade mostra relação entre cônsul dos EUA e Fiesp com ditadura

 Publicado em Terça, 19 Fevereiro 2013 20:14

 Em audiência pública na segunda (19), foram exibidos livros de visitas do Dops

Por Aray Nabuco
Caros Amigos

O mestrando em história Yuri Rosa de Carvalho nem tinha nascido quando seu avô, operário e militante político, foi preso, torturado e morto por agentes da ditadura militar no Brasil. O estudante de 25 anos era um dos que lotaram na tarde de segunda-feira (18) o auditório Paulo Kobayashi, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), para acompanhar nova audiência pública da Comissão da Verdade paulista.

Na audiência, a CV apresentou documentos que mostram a relação da ditadura com o consulado dos Estados Unidos e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), principalmente, livros de registro dos que entravam e saíam do Departamento de Ordem Política e Social (Dops), onde o avô de Yuri também foi morto, assim como tantos outros opositores do regime. Hoje Yuri dedica-se a pesquisar o universo político do avô, a militância de operários com o foco no Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT), grupo que ele integrava junto com os irmãos Joel e Daniel Carvalho – os corpos desses últimos, nunca foram encontrados.

Livro de Visitas

Ivan Seixas abriu a audiência mostrando um dos livros de registro de entrada e saída do Dops, no qual aparecem nomes e visitas suspeitas, entre eles, o então cônsul estadunidense no Brasil, Claris Rowney Halliwell, e outro, Geraldo Resende de Matos, que se identifica como ‘da Fiesp’. Em ao menos uma das visitas, Halliwell entra em um dia no Dops e só sai no dia seguinte, o que levanta suspeitas de que tenha, no mínimo, testemunhado sessões de torturas. Para Ivan Seixas, os registros de entrada e saída do Dops, localizados no Arquivo Público do Estado de São Paulo, ‘falam por si’.

Uma das visitas do cônsul ao Dops foi no dia 5 de abril de 1971, dia em que o avô de Yuri foi preso – morreu dois dias depois e a versão oficial é de ‘troca de tiros’ com policiais. Mas não há registro de saída do cônsul, o que leva a CV a supor que Halliwell tenha passado a noite ou muito tempo no local – o funcionário que anotava as visitas trabalhava até 22h.

Testemunhos

Yuri Rosa conta que ninguém viu a prisão de Devanir, pego em São Paulo já na clandestinidade – havia sido operário na Villares e na mondadora Toyota e taxista no Rio de Janeiro antes de voltar clandestino à capital paulista. Mas sua chegada ao Dops e as sessões de torturas foram testemunhadas por outros presos, como o próprio Ivan Seixas, que contou na audiência ter ouvido dois dias de torturas.

Rastreando os passos de Halliwell, a CV encontrou outras coincidências: ele estava onde as ditaduras se instalaram (do Brasil, seguiu para o Chile de Pinochet e, depois, Equador). Para Ivan Seixas não há dúvida de que o cônsul colaborou com a ditadura, mas resta saber qual o grau de colaboração. A CV também quer explicações sobre a presença de Halliwell no Dops e suas relações com a ditadura. No caso de Geraldo Resende ‘da Fiesp’, as visitas ao Dops eram bem mais frequentes – entre 1971 e 74, ele esteve lá por 124 vezes.

Tanto a Fiesp, quanto o Consulado dos EUA vão receber ofícios da CV pedindo explicações. “Será um questionamento para saber quem são essas pessoas e o que faziam lá”, diz Ivan Seixas.

Mesa

A mesa da audiência pública também contou com depoimentos de militantes que eram operários em fábricas na época da ditadura. A ideia era desenhar um retrato da repressão dentro das fábricas.

http://carosamigos.terra.com.br/index/index.php/politica/3069-comissao-da-verdade-mostra-relacao-entre-consul-dos-eua-e-fiesp-com-ditadura

 

Sobre SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

O Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) é uma Pastoral Social, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundada em 1985, que promove os direitos humanos, sociais, econômicos, políticos e culturais dos migrantes e imigrantes e comunidades de origem, trânsito e destino.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s