Número de migrantes no Amazonas cresceu 15% nos últimos dez anos

 

09 Dez 2012 . 10:00 h . Annyelle Bezerra . portal@d24am.com

No período, aumentou a população de paraenses e maranhenses e diminuiu a de cearenses.

Manaus – Nos últimos dez anos, o número de migrantes residentes no Amazonas cresceu 15%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Conforme o levantamento, dos 3,48 milhões de habitantes que moravam no Estado em 2010, 359 mil (10,3%) eram de outros Estados, contra 312 mil em 2000.

Os paraenses, seguidos pelos maranhenses e cearenses estiveram entre os que mais migraram para o Amazonas em 2010, totalizando 208 mil. Em 2000 foram 195,5 mil pessoas.

Há dez anos, da população total de 2,8 milhões de habitantes, 132,4 mil (4,7%) eram do Pará, 27 mil (0,96%) do Maranhão e 36 mil (1,28%) do Ceará.

Na última década, a presença de pessoas provenientes do Maranhão foi a que mais aumentou, 16%, estando em segundo lugar o Pará (10,28%). Os cearenses foram os únicos a apresentar redução, 15,71%.

Para o chefe de disseminação do IBGE, Adjalma Jaques, apesar do percentual de migrantes perder força na composição da população com o aumento da população do Estado, os números não podem ser subestimados.  “No Censo de 1991 os migrantes somavam 180 mil; em 2000 chegaram a 312 mil e em 2010 somavam 359 mil. Portanto, não é de maneira nenhuma um número desprezível na composição população”, afirmou.

Segundo o IBGE, no passado, a busca pelo Amazonas como destino dos migrantes tinha como pano de fundo fatores econômicos e sociais representados pelo desejo de um posto de trabalho na Zona Franca de Manaus e mais tarde pela intensa demanda por mão de obra no Polo Industrial.

Porém, com a chegada da estabilidade econômica do País, Adjalma ressalta que outras frentes de progresso em outros Estados surgiram, fazendo com que os migrantes desempregados buscassem outras praças.

Em Manaus, da população total de 1,8 milhão de habitantes, em 2010, 275,9 mil (15,31%) eram de outros Estados e 287 mil (15,93%) migraram do interior do Amazonas.

Os dados revelam também que, do total de migrantes de outros Estados, 173,5 mil (62,9%) já viviam há dez anos ou mais,em Manaus. Osresidentes na capital por período de três a quatro anos corresponderam a 34,3 mil (12,5%) e os instalados entre seis e nove anos a 27,5 mil (10%).

Segundo Adjalma, no caso da capital, o nível de progresso econômico do município passou a demandar mão de obra qualificada em diversos segmentos, fomentando uma ‘migração profissional’ de pessoas que vêm para Manaus para ocupar funções que a estrutura econômica e social necessita.

“Agora é a hora do Amazonas e, principalmente, de Manaus captar migrantes capacitados, incrementando um novo polo de desenvolvimento para os próximos anos”, frisou.

O IBGE também levantou o número de amazonenses que deixaram o Estado. Em 2010, da população de 3,48 milhões de habitantes, 970,1 mil pessoas declararam já terem residido fora do Amazonas, destes, 490,4 mil mulheres e 479,6 mil homens.

Estrangeiros

Os estrangeiros também fazem parte desse quadro. Eles geralmente são trazidos por empresas transnacionais que atuam em Manaus ou migram com a intenção de abrir negócios na atividade comercial. Neste grupo, estão asiáticos, europeus, norte-americanos e árabes.

Grupo de estrangeiros mais recente a aportar aqui é dos os haitianos. Em 2010, cerca de cinco mil chegaram no Amazonas, de acordo com a Pastoral do Imigrante, entidade ligada à Igreja Católica que atua acolhendo os imigrantes do Haiti.

Com 9,7 mil pessoas nascidas em outros países residindo, no Estado, em 2010, contra 6,8 mil em2000, aparticipação de estrangeiros teve um incremento de 41,71%, na última década.

Segundo o IBGE, em 2010, Manaus contava com 3,2 mil estrangeiros com moradia fixa no município.

http://www.d24am.com/noticias/amazonas/numero-de-migrantes-no-amazonas-cresceu-15-nos-ultimos-dez-anos/75394

 

 

Sobre SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

O Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) é uma Pastoral Social, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundada em 1985, que promove os direitos humanos, sociais, econômicos, políticos e culturais dos migrantes e imigrantes e comunidades de origem, trânsito e destino.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s