Imigrantes fazem manifestação em São Paulo por mais direitos

Com o tema “Por Nenhum Direito a Menos – voto já!”, imigrantes bolivianos, peruanos, paraguaios, chilenos, haitianos, colombianos, italianos, africanos, (Senegal e Moçambique) e várias entidades representativas da luta pelos direitos humanos, realizaram a 5ª Marcha dos Imigrantes no centro da cidade de São Paulo.
Com faixas, cartazes, bandeiras dos vários países da América Latina e a ajuda de um carro de som, entidades, associações de migrantes, ONGs, pastorais e imigrantes coloriram as ruas, as avenidas e defenderam mudanças na Constituição Federal e no Estatuto do Estrangeiro a fim de que possam participar da vida política, como qualquer cidadão, com direito ao voto.
Suas bandeiras afirmavam sonhos e lutas por: uma nova Lei de imigração; pela ratificação da Convenção Internacional sobre proteção dos direitos de todos os trabalhadores migrantes e seus familiares; uma cidadania sul-americana, com livre trânsito e direito de permanência; acesso ao trabalho decente e políticas de fomento a regulamentação das microempresas; combate ao trabalho escravo, tráfico de pessoas; acesso à justiça gratuita e às políticas públicas de educação, saúde; cumprimento dos acordos políticos em matéria de migração em âmbito bilateral e multilateral; integração dos povos; um mundo sem fronteiras; uma cidadania universal; igualdade de gênero e contra toda discriminação e xenofobia.
A caminhada partiu da Praça da República e seguiu rumo à Praça da Sé com músicas de protesto, danças, apresentações e paradas com momentos de reflexão, como a leitura de um manifesto na calçada do viaduto do Chá diante da prefeitura.
Centrais sindicais, como Central Única dos Trabalhadores (CUT), UGT e parlamentares, estiveram presentes para apoiar a luta dos trabalhadores imigrantes.
“Estamos em campanha em vários locais para mostrar que o imigrante tem de sair da invisibilidade para conquistar os seus direitos. Não é só vir para o Brasil trabalhar e conquistar simplesmente um cartão de residência. Tem de buscar melhores condições de saúde, educação e o direito de voto, de cidadania completa”, disse o coordenador do Centro de Apoio ao Migrante, Roque Pattussi. Ele afirmou que as reivindicações serão encaminhadas a representantes dos governos municipal, estadual e federal.
Em sua carta manifesto e de reivindicações, os imigrantes destacaram que o momento de “crise do capitalismo e da precarização do trabalho” é oportuno para mudar o conceito da “criminalização das migrações pelo paradigma dos direitos humanos, cidadania plena e integração dos povos”.
De acordo com estimativas, há no Brasil cerca de l,5 milhão de imigrantes. Desses, cerca de 250 mil bolivianos, 80 mil paraguaios, 50 mil peruanos e um número menor de pessoas vindas de outras nações vivem em São Paulo.
A 5ª Marcha dos Imigrantes faz parte das comemorações alusivas ao Dia Mundial dos Imigrantes e ao 21° aniversário da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos de Todos os Trabalhadores Migrantes e de Suas Famílias. Também está associada ao Dia da Ação Global Contra o Racismo e Xenofobia, pelos Direitos dos Migrantes e Refugiados.
Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM / CAMI)

Anúncios

Sobre SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

O Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) é uma Pastoral Social, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundada em 1985, que promove os direitos humanos, sociais, econômicos, políticos e culturais dos migrantes e imigrantes e comunidades de origem, trânsito e destino.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s