Leiga Scalabriniana e jornalista foi assassinada por narcotraficantes – México

Leiga Scalabriniana e jornalista foi assassinada por narcos que tentam amordaçar redes sociais.
O corpo de Maria Elizabeth Macias, editora-chefe do jornal Primera Hora, publicado em Nuevo Laredo, Tamaulipas estado (leste), foi encontrado decapitado em 24 de setembro de 2011. Esta mulher de 39 anos de idade é o quarta jornalista morta desde o início do ano, após o assassinato de Rocío González Trápaga, ex-repórter da Televisa, e Maria Ana Marcela Viveros Yarce, fundador e jornalista do Contralínea revista semanal, em 31 de agosto do ano passado no Distrito Federal, e Ordaz Yolanda de la Cruz, Notiver colunista de jornal regional, o 26 de julho de 2011 no estado de Veracruz.

“A figura de 80 jornalistas mortos em uma década neste ano foi superada em 2011, com mais e mais crimes hediondos. Nós não vemos nenhuma saída contra o terror enquanto o país afunda em uma guerra total, em que apenas digitando ‘tráfego’ as palavras ou ‘narcos’ pode custar sua vida. O que restará da liberdade de informação para a duração da barbárie e da impunidade? A comunidade internacional deve exigir que as autoridades mexicanas um estado responsável da luta contra a impunidade. Em relação ao governo federal dos EUA, deve impor um controle drástico do comércio de armas, sem a qual a tragédia mexicana vai continuar “, disse o Repórteres Sem Fronteiras.Redes sociais
Segundo fontes, Maria Elizabeth Macias usava as redes sociais para denunciar as ações do tráfico de drogas na região. Ela tinha um blog sob o pseudônimo de “a menina de Nuevo Laredo.” De acordo com o Procurador Geral do Estado de Tamaulipas, ao lado do corpo do jornalista havia dois teclados de computador, um toca-discos e alguns cabos, acompanhados por uma mensagem. “” Ok Viver Nuevo Laredo e redes sociais. Eu sou o bebê de Laredo e aqui estou … para aqueles que não querem acreditar que isso aconteceu a mim por minhas ações”.Esses avisos já foram usados ​​contra usuários de redes sociais que se atrevem a falar sobre o tráfico de drogas. Em 13 de Setembro, também em Nuevo Laredo, encontraram os corpos de duas pessoas que foram torturadas, pendurados em uma ponte, que tinha mensagens para os funcionários dos sites “rojo Al vivo” e “Narco Blog” .

Leigos Scalabrinianos
A Comunidade do Movimento Leigo Escalabriniano (MLS) está de luto pela terrível morte violenta de um membro: María Elizabeth Macías Castro, 39 anos, conhecida como Marisol, que trabalhava num jornal, em Tamaulipas, que foi sequestrada e assassinada.

O comunicado enviado à Agência Fides, assinada pelo Scalabriniano Pe. Francisco Pellizzari, conselheiro espiritual da América do Norte, informa que “quarta-feira, 22 de setembro, Marisol Castro, Leiga Scalabriniana do grupo de Nuevo Laredo, México, foi seqüestrada por um grupo de narcotraficantes “chefões” desta região de fronteira. Depois de dois dias de buscas e silêncio dramático, seu corpo sem vida apareceu numa rua na cidade de Nuevo Laredo, cidade onde ela nasceu e trabalhava como editora e ilustradora de um jornal local”. A declaração sublinha que as notícias sobre o evento em nível oficial são muito escassas até agora, e sobre seu corpo foi encontrado uma inscrição: “Isso acontece com os meios de comunicação que estão contra nós”.

“Pedimos uma oração para a nossa amiga e membro do Comitê Central do Movimento de Leigos Scalabrinianos que com grande afeto e fidelidade trabalhava na Casa del Migrante em Nuevo Laredo e mantinha contato diário com muitos de nós do Movimento”, conclui o comunicado. Marisol foi “uma mulher de fé e grande compromisso com a justiça” – testemunha Pe. Rui Pedro.

O assassinato atroz pode ser o terceiro cometido por um cartel de drogas entre os moradores de Nuevo Laredo, morto por causa do que tinha publicado na Internet. O México é considerado pelas Nações Unidas como o país mais perigoso da América para os operadores da mídia. Até este último assassinato, são cera de doze os jornalistas mortos este ano, de acordo com uma contagem de Reporters sans frontières. Entre eles estão dois jornalistas encontrados mortos no início de setembro num parque na de Cidade do México (veja Fides 17/9/2011). Muitas vezes as queixas de violência por parte de traficantes de drogas que operam nessas áreas de fronteira aparecem na internet, cobertas por um certo grau de anonimato, enquanto os meios de comunicação locais são muitas vezes ameaçados.

Fonte: Clube da Imprensa e Agência Fides
http://www.rsradios.com.br/noticia/Leiga-Scalabriniana-e-jornalista-foi-assassinada-na-tentativa-de-amorda%C3%A7ar-redes-sociais

Anúncios

Sobre SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

O Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) é uma Pastoral Social, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundada em 1985, que promove os direitos humanos, sociais, econômicos, políticos e culturais dos migrantes e imigrantes e comunidades de origem, trânsito e destino.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s